Um sábado de totais delícias

Essas coisas que acontecem, que não são marcadas, que rolam naturalmente, são as melhores: em pleno sábado à tarde, com a companhia do Guilherme na loja, recebemos inesperadamente a visita dos irmãos Zanello e em suas mãos, uma Ommegang Saison e uma witbier que os dois fizeram juntos.

O Paulo queria retribuir a gentileza do Marcelo Carneiro de ter servido pra gente em seu bar há algumas semanas, algumas cervejas inglesas espetaculares e únicas, armazenadas em tonéis de madeira de uísque e vinho do porto. Uma seção à parte de prazeres com cerveja e novos conhecimentos e possibilidades.

Portanto, com as cervejas na geladeira, ligamos para o Marcelo, que atendeu o nosso chamado e ainda trouxe mais delícias para experimentarmos: duas garrafas de Dogfish Head 120 Minute IPA e uma garrafa de uma cerveja feita em comemoração ao simpósio de cervejeiros nos EUA, com o nome de Audacity of Hops — imagine a inveja que sentirão os lupulomaníacos quando acabarem de ler este post!

Copos à mão, começamos a orgia de dar inveja a Baco (pena que ele é o deus do vinho…):
Ainda tínhamos aqui no Biergarten a última garrafa de witbier dos irmãos Danhone, e servimos principalmente para o Phil conhecer a qualidade do trabalho dos meninos. E foi exatamente o que ele disse: a cerveja seria perfeita para uma competição. Com uma carbonatação fantástica (o tempo fez bem para ela), só teria que tirar a maçã para ficar dentro do estilo da cerveja. Pena que o Gustavo ainda não estava presente, pra ouvir todos os elogios! Ele não iria se caber…

A witbier dos irmãos Zanello: Paulo e Phil.

Depois, fomos para a cerveja dos irmãos Zanello. A witbier, é claro, estava ótima. Perfumada, encorpada, refrescante, cítrica. Deliciosa! Como, claro, era de se esperar.

Um brinde às ótimas produções dos filhos do “Senhor dos Zanellos”!

E então, só pra fechar o estilo witbier e poder comparar com uma cerveja de responsa, abrimos uma La Trappe Witbier. A maior diferença dessa para as caseiras, era o amargor mais acentuado e também o cítrico presente com mais força. De qualquer forma, até este momento, estávamos muito bem servidos! ;)

Paulo, Marcelo, Phil, Marcelo da Colorado e Guilherme.

Agora começa a brincadeira de gente grande mesmo: abrimos a Hennepin Farmhouse Saison. Sem palavras: gengibre e lúpulos cítricos. Fantástica, deliciosa! A cervejaria já tem uma história e tanto, sendo americana e se considerando belga e a gente já teve a oportunidade de tomar a Rare Vos também, graças aos Zanellos, mais uma vez. A Ommegang está no topo de nossas cervejarias queridas e objeto de desejo. Obrigada pelo deleite, meninos! ;)

No contra-rótulo: HENNEPIN – 7,7% alc.vol., 750ml – serve cool (not cold)

Brewing Ommegang is located 3624 miles from Brussels, but its heart is right in Belgium. It was created out of our devotion to the unique ales brewed by the country in which brewing is an art and partaking is a passion.
Hennepin is a rare Farmhouse Saison Ale – pale, hoppy, crisp, and rustic. It´s named after Father Louis Hennepin, a Belgian missionary who was the first European to visit and describe Niagara Falls.

Vidinha mais ou menos, não?

E agora, hopheads ou hopaholics ou simplesmente apaixonados por lúpulos (como nós, desde que conhecemos um novo mundo na Brasil Brau), enlouqueçam de inveja: Dogfish Head 120 Minute IPA! Durante a lupulagem de 2 horas, a cada 5 minutos, é adicionada uma porção de lúpulo em quantidades iguais. Durante o processo de maturação a cada certo tempo, são adicionados mais lúpulos, para aumentar ou manter o amargor. Com 120 de IBU e 18% de graduação alcoólica, a espuma da cerveja chega a ficar verde, de tanto lúpulo! Uma experiência completamente diferente e apaixonante (mais uma vez o amor inesperado ao lúpulo…). A gente está ficando viciado!

No rótulo: Dogfish Head 120 Minute IPA – The Imperial India Pale Ale. 12 fl.oz. AGES WELL

What you have here is the holy grail for hopheads. This beer is continually hopped over a 120 minute boil and then dry-hopped every day for a month. Enjoy now or age for a decade or so.
Hummmm… Quem não gosta de lúpulo, bom sujeito não é!

Nesse ínterim, por total sorte, chega Gustavo Danhone. Ele foi intimado a ir buscar a American Red Ale, que o Conselho fez junto, a Confederations Red Ale, pra degustação. E lá veio ele com a única garrafa gelada:

Carbonatada, aromática, lupulada. Feita pelo Conselho de Segunda!

Um brinde aos bons cervejeiros!

E pra fechar com chave de ouro, a cerveja Audacity of Hops – feita para comemoração do 2009 Symposium Ale, uma cerveja feita em conjunto. Com aroma de malte, fermento belga, centeio. Mas o melhor de tudo é o lúpulo muito floral, muito vivo.

Olha o rótulo que lindo! (O conteúdo era melhor ainda…)
No rótulo: 2009 Audacity of Hops Symposium Ale represents New England as an existential bridge to the traditions of the Continental Motherland and Western U.S. brewing. It makes the point that we´ve started a few revolutions of our own! An audacious hop charge is balanced by pale, aromatic malts and complex Belgian yeast character.

Brewed to commemorate the Brewers Association Craft Brewers Conference and BrewExpo America.
APRIL 21 – 24, 2009
BOSTON, MA

Todo mundo feliz! Por que será, hein?

One Comment

  1. Hyperides Zanello

    Oi! Onde fica tudo isso??? Abraços. Zanello.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.
Required fields are marked:*

*

Current month ye@r day *